20
jul
09

Filme: Ensaio Sobre a Cegueira, Fernando Meirelles (2008)

Charles Antunes Leite

Ensaio Sobre a Cegueira, adaptação do romance do escritor português e ganhador do Prêmio Nobel, José Saramago, pelo cineasta brasileiro Fernando Meirelles (Cidade de Deus, Jardineiro Fiel). No elenco as presenças de Alice Braga (Eu Sou a Lenda) e Danny Glover (Máquina Mortífera, Silverado).

Um dia no trânsito, repentinamente, um motorista perde a visão. Ao procurar o oftalmologista (Mark Rufallo), é diagnosticado com a  “cegueira branca”, em que as pessoas atingidas ficam com a visão coberta por uma superfície leitosa, e não imersos na escuridão, o que é comum à cegueira. É constatado que a anomalia é contagiosa e atinge o médico assim como todos os pacientes que aguardavam na sala de espera. Pouco a pouco, aqueles que foram contaminados espalham a moléstia por onde quer que passem.

O governo alarmado isola (deposita) os cidadãos contaminados em um hospital psiquiátrico abandonado. Lá, eles são jogados à própria sorte; tendo que sobreviver somente com quantidade mínima de alimento  entregue (jogado) diariamente em sua gigantesca jaula. Ao invés de serem assistidos, o governo assiste sua degradação através de portões vigiados por guardas armados.

De forma inexplicável somente a esposa do médico interpretada por Julianne Moore (Magnólia, Hannibal), não é afetada. No entanto, em solidariedade ao marido finge que está cega, para acompanhá-lo em sua quarentena. O que teria causado a cegueira repentina daquelas pessoas? Seria uma doença psicossomática, medo da vida ou falta de fé? Por que somente uma pessoa não foi atingida?

A sutileza e a profundidade íntima de cada personagem e as conjecturas do autor na tentativa de explicar os dramas internos deles apresentados na obra literária, não estão na película. Em defesa de Meirelles ou qualquer cineasta que se atreva a filmar um romance, principalmente de um autor da estatura de Saramago seria impossível em duas horas de filme se aprofundar nas minúcias escritas em mais de 300 páginas.

Augusto César Costa Lima, 26, conhecedor da obra de Saramago opinou sobre o filme: “O impacto das imagens não corresponde à violência das descrições do autor”.

A versão de Meirelles tem suas qualidades e consegue prender a atenção do espectador. Possui semelhança na forma de contágio com o filme Invasores (2007) em que a personagem de Nicole Kidman, é a única a não ser afetada por misteriosa epidemia alienígena. Da mesma forma que a esposa do oftalmologista tem a incumbência de ser a força e o bom senso para cuidar daqueles que sofrem, e guiá-los no caminho da cura.

A fotografia escura faz a platéia se sentir em meio à escuridão transitória dos personagens, cercados pela miséria e sujeira. As condições subumanas em que foram jogados se tornam mais condenáveis que a reação da comunidade cega em relação ao filme. A acusação de preconceito contra os deficientes visuais é infundada.

Sempre que um grupo humano é posto sob condições extremas, aqueles mais fracos de caráter ou fisicamente mais frágeis tendem a ceder e deixar aflorar sentimentos primitivos de sobrevivência.

Vide o caso dos seriado Lost em que um grupo de pessoas se vê forçado a viver numa ilha rodeados por situações misteriosas. Tanto o grupo da ilha como a sociedade do Ensaio é formado pela diversidade etária, sexual e étnica. Grupos necessitam de líderes, como Jack Sheppard, e em contrapartida neles sempre tem aquele que se aproveita da situação “para se dar bem”, a exemplo de Sawyer no seriado Lost, na primeira temporada.

Da mesma forma, a condição da cegueira não põe todos no mesmo barco, a ala liderada pelo vilão cego vivido por Gael Garcia Bernal (Babel, O Passado) resolve subjugar o grupo da sua antagonista (Julianne Moore).

O comerciário Ricardo Dilello Gomes, 20, gostou do filme que apresenta “Duas horas de uma reflexão sobre a condição humana. Quando acaba o supérfluo, só resta o corpo”.

Talvez a praga seja uma forma de enxergarmos a vida de maneira diferente. O homem, que se julga “animal racional”, mesmo sem visão, pode se superar.

Filme: Ensaio Sobre a Cegueira, Brasil/Canadá/Japão, 2008
Título Original: Blindness

Direção: Fernando Meirelles
Duração: 120 min
Distribuidora: 20th. Century Fox – Miramax

Anúncios

0 Responses to “Filme: Ensaio Sobre a Cegueira, Fernando Meirelles (2008)”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: