27
jul
09

CD: Kind of Blue, Miles Davis (1959)

Charles Antunes Leite

Genial é o que pode ser dito de um disco depois de 50 anos do seu lançamento, e ainda ser considerado referência e influência para músicos de diversas gerações. Esse é o caso do emblemático álbum engendrado pelo trompetista Miles Davis.

Valorizar o mago Miles é chover no molhado, no entanto, o mérito da gravação deve-se também ao “dream team” formado por Julian “Cannonball” Adderley (sax alto), John Coltrane (sax tenor), Jimmy Cobb (bateria), Bill Evans e Wynton Kelly (piano), Paul Chambers (baixo), músicos que colaboraram para que Kind of Blue atingisse o “status” de obra prima do jazz.

Para comemorar o jubileu de ouro Kind of Blue foi relançado em três edições:

CD remasterizado com o bônus Flamenco Sketches (alternate take), encarte com fotos e notas;

Kind of Blue 50th. Anniversary Edition: Álbum remasterizado com 10 faixas bônus extraídas das sessões de gravação; CD com a primeira sessão do grupo em 1958, com cinco músicas que não entraram no álbum e uma versão de 17 minutos para So What e DVD contendo o documentário Celebrating a Masterpiece Kind of Blue, versão expandida de Made in Heaven de 2004, além de The Sound of Miles David Quintet with Gil Evans Orchestra, especial para a Rede CBS em 1959 em que tocam: All Blues, The Duke, Blues for Pablo e So What;

A edição mais cara e mais atraente, Kind of Blue Deluxe 50th. Anniversary Collector’s Edition – Box Set, além dos itens acima traz ainda um Blue Vinyl 180 gramas com o álbum original e livro com textos e fotos das sessões.

O disco se distancia do “hard bop” em direção ao jazz modal, em que não é necessário o excesso de notas e firulas – no qual o menos é mais, o silêncio às vezes diz mais que um discurso -, os solistas poderiam se entregar a improvisações mais harmônicas. Bill Evans, além de desenvolver os temas a partir de esboços trazidos ao estúdio por Miles antes de começar as sessões, toca em quatro das cinco faixas.

Wynton Kelly substituiria Evans em Freddie Freeloader, a composição necessitava da crueza e peso do blues, mais nítido em Kelly. Evans dedica seu toque clássico as demais faixas.

A indefectível So What desenvolvida em dois acordes, prova que a simplicidade bem executada não é o mesmo que mediocridade – longe disso, o resultado é fabuloso.

Flamenco Sketches, é uma composição com sabor ibérico, em que cada solista alia o bom gosto harmônico e improviso parcimonioso de Miles e Coltrane, passando pela humildade e delicadeza do teclado de Evans e o acompanhamento econômico de Adderley. Tudo feito para que o excesso de tempero não estragasse o prato.

Pouca gente percebeu a diferença de afinação nas três músicas que ocupavam o lado A do LP, devido a problemas técnicos, corrigidas somente anos depois em novas edições do álbum em CD.

Kind of Blue é o disco de jazz mais vendido de todos os tempos, graças à mística envolvendo seu criador e a sonoridade impressa nas cinco faixas daquelas gravações feitas no estúdio da Columbia, na Rua 30 em Nova Iorque, em duas sessões no longínquo ano de 1959.

CD: Kind of Blue, 1959
Artista: Miles Davis
Gravadora: Columbia

Anúncios

0 Responses to “CD: Kind of Blue, Miles Davis (1959)”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


tweets

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: