20
jun
11

CD: Born Again – Deluxe Edition, Black Sabbath (2011)

RELANÇAMENTO

Charles Antunes Leite

Born Again é um caso à parte na discografia do Black Sabbath, banda que já contou com dois grandes vocalistas e que dividem a preferência dos  fãs: Ronnie James Dio (R.I.P) do Rainbow substituiu Ozzy Osbourne que partiu para carreira solo. Após o terceiro disco com o Sabbath, Dio foi dispensado (dizem as más línguas!) por ter sabotado a mixagem do último trabalho privilegiando os vocais na gravação.

Ian Gillan (Deep Purple) em carreira solo desde 1973 é convidado para a vaga, e além de desempenhar com competência a função, ainda é responsável pelas letras das canções. Born Again traz na capa a ilustração de um bebê, que carinhosamente chamo de “Bebê de Rosemary”, e conta com a volta do baterista original Bill Ward.

Trashed poderia ser definida como uma música do Deep Purple mais encorpada, sem o teclado de Jon Lord, mas  com os riffs rápidos e cortantes de Tony Iommi. The Dark  funciona como introdução para Disturbing the Priest – canção tenebrosa  e sarcástica em meio a distorção e peso.A instrumental Stonehenge é um prelúdio para os riffs hipnóticos e característicos do Sabbath em Zero the Hero.

O alcance vocal de Gillan mostra sua força nos seis minutos de Born Again, faixa tema o álbum, com andamento lento e mais um solo de Iommi – um dos grandes momentos do disco em que o Sabbath mergulha nas suas origens.

Born Again é ame ou odeie. Os fãs radicais levantam a bandeira de Ozzy ou Dio, mas devem ouvir sem preconceitos o trabalho de Ian Gillan, um dos maiores vocalistas do rock,  no auge. Digital Bitch é suja e cortante como alguma faixa do Judas Priest. Born Again peca pela produção, talvez por isso, muitos fãs torcerem o nariz e renegarem o disco.

O CD bônus captura a apresentação no Festival de Reading, em agosto de 1983. Bill Ward não participou da turnê e Bev Bevan (ELO) ocupa a vaga do baterista. O “set list” é composto por alguns clássicos da banda de Tony Iommi,  e de quebra o Sabbath com Gillan interpretam Smoke on the Water do Deep Purple, na época, ex-banda do vocalista. O repertório antigo pode causar certa estranheza, porém são interpretações honestas e vibrantes.

Ao término da turnê Bev Bevan e Ian Gillan deixaram a banda. Gillan, afastado desde 1973, aceita voltar para a formação clássica do Deep Puple para gravar Perfect Strangers (1984). O Sabbath, depois de vários testes com vocalistas, efetiva Tony Martin. Dio ainda voltaria a assumir os vocais em Dehumanizer (1992).

Tracking List

Disc 1:

1. Trashed
2. Stonehenge
3. Disturbing The Priest
4. The Dark
5. Zero The Hero
6. Digital Beach
7. Born Again
8. Hot Line
9. Keep it Warm

Disc 2:

1.  The Fallen
2.  Stonehenge (Extended Version)
3.  Hot Line (Live At Reading Festival, August 1983)
4.  War Pigs
5.  Black Sabbath
6.  The Dark (Live At Reading Festival, August 1983)
7.  Zero The Hero (Live At Reading Festival, August 1983)
8.  Digital Bitch ((Live At Reading Festival, August 1983)
9.  Iron Man
10. Smoke On The Water
11. Paranoid

CD: Born Again – Deluxe Edition, 2011
Artista: Black Sabbath
Gravadora: Sanctuary


Anúncios

0 Responses to “CD: Born Again – Deluxe Edition, Black Sabbath (2011)”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s


tweets

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: