Archive for the 'Show' Category

30
out
15

Sisters of Mercy: 25 anos da primeira turnê brasileira

São Paulo 1990 - Fanbase-produced cover (front)

São Paulo 1990 – Fanbase-produced cover (front)

Imagine a euforia dos fãs brasileiros, em particular esse escriba, quando ouviu pelo rádio numa longínqua tarde de domingo do ano de 1990 que The Sisters of Mercy tocariam no Brasil. A nota foi dada pelo DJ e locutor José Roberto Mahr no seu programa Novas Tendências (popular NT) na 89 FM. A banda incluíra o nosso país na turnê de lançamento do terceiro álbum (até hoje o último disco) intitulado Vision Thing que chegaria às lojas no mês de novembro daquele ano. As datas confirmadas: Discoteca Zoom em Brasília (25/10), Projeto SP em São Paulo (26 e 27/10), Americana-SP (28/10) e Canecão no Rio de Janeiro (29 e 30/10).

Album Vision Thing (1990)

Album Vision Thing (1990)

Naquela época bandas em atividade ou no auge dificilmente incluíam o Brasil nas turnês.Talvez fosse a última oportunidade para assistir a um show deles. Para tristeza dos fãs, após desavenças com Andrew Eldritch, a baixista Patricia Morrison afastada da banda não viria, e sim, o recém-integrado Tony James (Sigue Sigue Sputnik).

Matéria Folha de S. Paulo por Jean-Yves Neufville 26/Out/1990 (Acervo)

Matéria Folha de S. Paulo por Jean-Yves Neufville 26/Out/1990 (Acervo)

No meu bairro, quem curtia aquele tipo de música era eu, um camarada e mais dois outros que viria a conhecer depois. Não lembro o porquê, mas acabei indo sozinho (afinal faz tanto tempo). A única certeza que tenho: a música de abertura foi First And Last And Always.

Fui de Metrô. A cada parada figuras características embarcavam e não deixavam dúvidas que iriam para o mesmo lugar que eu. Ao desembarcarmos na estação Marechal Deodoro fomos a pé para o Projeto SP situado na Rua Sérgio Meira, na Barra Funda (apenas algumas quadras do metrô). Quem visse aquele grupo de gente esquisita com suas roupas pretas, cabelos espetados e demais paramentos – poderia se assustar. Ao passarmos por uns tiozinhos, eles fizeram o sinal da cruz como se fossemos vampiros ou coisa pior… Hoje em dia tais roupas e o visual se tornaram corriqueiros e até foram incorporados ao mercado de moda.

Ingresso para o primeiro show no Projeto SP 26/Out/1990 (Acervo)

Ingresso para o segundo show no Projeto SP 27/Out/1990 (Acervo)

Fui sozinho, mas encontrei vários conhecidos do Espaço Retrô (porão da região central da cidade de São Paulo frequentado por fãs de bandas como Sisters of Mercy, Bauhaus, Cure entre outras) que também consideravam imperdível a apresentação dos Sisters em Sampa.

O show, apesar da infeliz escolha do insípido Nenhum de Nós como banda de abertura – quando entramos eles estavam saindo do palco ((nenhum de nós assistiu). A apresentação foi arrebatadora: a voz gutural de Andrew Eldritch apoiada por dois guitarristas Tim Bricheno (All About Eve) e Andreas Bruhn (amigo de Eldricht), Tony James (Sigue Sigue Sputnik), o tecladista Dan Donovan (Big Audio Dynamite) e a lendária Doktor Avalanche. Como o ser humano nunca se dá por satisfeito, eu senti falta de No Time To Cry e Walk Away. Abaixo relação das músicas do set list original tocadas dia 27/10 segundo a cópia distribuída aos jornalistas:

First And Last And Always
Lucretia My Reflection
Body And Soul 
Detonation Boulevard 
When You Don`t See Me 
Marian
Body Electric ( relacionada mas não tocada)

Valentine
Doctor Jeep 
Dominion/Mother Russia
 Alice
Gimme Shelter
Temple Of Love 

Vision Thing  (BIS)
This Corrosion 

Jolene (BIS)
 1969

Sao Paulo 1990 - Fanbase-produced cover (back)

Sao Paulo 1990 – Fanbase-produced cover (back)

O show do Projeto SP (26/10) saiu num CD “bootleg” produzido pelo fan club brasileiro dos Sisters of Mercy com as quatro últimas músicas substituídas pelas apresentadas no show do dia seguinte (27/10). No YouTube está disponível uma das apresentações gravada no Canecão (Rio de Janeiro) com imagem e som sofríveis.

Anúncios
27
dez
12

Show do Lobão: vinte e cinco anos depois

Charles Antunes Leite

Lobão: 50 Anos a Mil -Nova Fronteira (reprodução)

Li recentemente, 50 Anos a Mil, a biografia do Lobão em parceria com o jornalista Cláudio Tognolli. Um calhamaço de quase 600 páginas em que o músico traça os cinquenta anos de vida e mais de trinta de carreira. É a chance de conhecer as origens do homem que se tornou uma das personalidades mais polêmicas da música brasileira.  Em alguns momentos a narrativa  apresenta situações, algumas fantásticas, no entanto todas dignas da personalidade ímpar do Lobão.

No prólogo, digno de cinema independente, Lobão e Cazuza estão no velório do amigo Júlio Barroso. De madrugada, ao se verem a sós, esticaram duas carreiras de cocaína, como homenagem, no caixão do parceiro morto. A partir desse fato, o que poderíamos esperar se concretiza ao longo do livro, a narrativa flui em ritmo frenético desde a infância (que muitos desconheciam) em que um garoto tímido, doente e com déficit de atenção passa a se interessar por música e literatura. A origem do apelido, ainda na escola; a primeira banda e todas que vieram depois. Os amigos, parceiros, colaboradores, namoradas, as diferenças (já resolvidas) com Herbert Vianna. As circunstâncias do julgamento e da prisão por suposto porte de drogas, em 1987 – relatado minuciosamente. O direcionamento da carreira após o incidente e toda sua luta por independência e transparência no mercado fonográfico. 

Em 2012, o “lobo mau” está de volta com o registro ao vivo Lobão Elétrico Lino, Sexy & Brutal em CD/DVDUm único show no Citibank Hall, em São Paulo, em outubro de 2011. Lobão repassou 30 anos de carreira em releituras muito inspiradas mesclando temas dos primeiros trabalhos com outros da sua produção nos anos 2000. Os arranjos e a produção em parceria com Rui Mendes e Chris Winter, além da mixagem em Abbey Road, fizeram com que o repertório independentemente da idade das canções se tornasse coeso.

O artista amadurecido e experiente que procurou se aproximar da música brasileira e de experimentos eletrônicos para se distanciar do rock –  se apresenta sem culpa  e assumidamente rock’n’roll nesse Lobão Elétrico Lino, Sexy & Brutal.

DVD Lobão Elétrico Lino, Sexy & Brutal – Deckdisc (Richard Kovács)

Bambino, originalmente, trazia influências do pop alemão; agora revisitado está mais para o pós-punk britânico.  A revitalização continua em todo o show. Ouvi ecos de Lou Reed, Gang of Four, e até Patife Band. O “guitar  hero” brazuca Luis Carlini abrilhanta Ovelha Negra (Rita Lee), única composição alheia no repertório. Para terminar (no CD) o Rock Errou. Constato, caro  Lobão, que o rock se perdeu pelo caminho, mas está de volta. O melhor ficou para o final, no caso do DVD, com seis sucessos do repertório do Big Wolf como bônus: Essa Noite Não; Me Chama; Rádio Blá (Blá, blá, blá… Eu te Amo); Corações Psicodélicos;  Vida Bandida e  Por Tudo que For.

Lobão Elétrico me traz a recordação de assisti-lo, no auge, em 1987. A precisão dos fatos não pode ser exigida tendo em vista que vinte cinco anos separam os acontecimentos do relato abaixo:

Era uma típica noite de sábado. Subi a avenida central do bairro em que morava em direção a uma rua na parte alta, onde o pessoal se reunia. Lá era o ponto de encontro noturno. Todos passavam por lá, para saber sobre alguma festa, evento ou mesmo para jogar conversa fora. Esses programas, quando muito, se estendiam até duas da madrugada. Naquela noite, apenas dois caras estavam lá e iriam para um aniversário de um primo em Guarulhos:  Então, um abraço! Até amanhã!

Na avenida central, agora no caminho inverso, já considerava a noite como perdida quando encontro um colega de ginásio que perdera o contato há dois anos quando mudou de colégio. Ele estava no ponto de ônibus aguardando a namorada para saírem.

Ele estava morando novamente no bairro. Na rua de trás. Fui convidado a acompanhá-los até uma danceteria que “bombava” na época: a Contra Mão. Naquela noite, o Lobão faria o show de lançamento do álbum Vida Bandida.

Fomos até a casa dele para aguardar mais dois amigos. Resolvi que iria também. Antes, teria que avisar minha mãe.  Abro aqui uns parênteses: na década de 1980, o telefone residencial era artigo de luxo e a maior parte da população não possuía – era o meu caso. Então teria que ligar para a vizinha. Recado dado que voltaria no domingo de manhã. Seguimos para o bairro do Tatuapé.

O show do Lobão, após a saída da prisão, era aguardado com ansiedade e “frisson” – tido como o grande evento daquele sábado. A turnê com apresentações bombásticas e concorridas havia percorrido várias cidades do país até chegar à São Paulo. O disco recém-lançado, diga-se de passagem, dotado de diversidade rítmica devido à direção artística de Marcelo Sussekind trazia  pelo menos duas faixas executas nas principais rádios da época: Rádio Cidade, Jovem Pan 2 e 89 FM, só pra relacionar as emissoras da capital.

O burburinho começava há algumas quadras da Contra Mão, nas dezenas de bares da redondeza. Vamos para a fila, digna de estreia do filme Guerra nas Estrelas, para comprar os ingressos. Finalmente, conseguimos entrar. Noto que o lugar é maior que imaginava e em poucos minutos  já está bem cheio.

As luzes se apagam para a abertura da casa. Som e iluminação de última geração. Se não me falha a memória: This is the Day (The The) começa a tocar. Nesse momento, o lugar que parecia cheio, ficou  insuportávelmente apertado.

A música silencia nas potentes caixas acústicas. As luzes se apagam. Seguem alguns minutos que parecem eternos. A plateia impaciente começa a assoviar e bater os pés no piso. O alvoroço crescente.

Lobão entra no palco acompanhado dos Marajás Apedrejados. Sucessos antigos e músicas do recém lançado Vida Bandida são cantadas com energia. A galera extasiada e suada se acotovela espremida  nas dependências da danceteria. Lobão  estava bravo com o imbróglio que o levou a prisão – a música era sua forma de protesto. Detalhes do show: lembro da euforia.

Após o show, a música volta a rolar na pista até às 4h da manhã: Simple Minds, Cure, Smiths, Tones on Tail, Clash, Bolshói, Michael Jackson, Siousxie and the Banshes, Titãs, Legião Urbana, Plebe Rude, Paralamas do Sucesso, Tears for Fears, Duran Duran… Alguns meses depois, a House Music invadiria a programação das FMs e pistas das danceterias. A Contra Mão foi uma das grandes casas noturnas de São Paulo (1980-1992). Com a ascensão da música sertaneja os proprietários resolveram transformá-la em casa direcionada ao gênero da moda sob o nome de Caipiródramo.

Ficamos na Praça Sílvio Romero até às seis da manhã quando finalmente o ônibus passou. O sol brilhava quando entrei em casa trazendo pão quentinho para o café da manhã.

26
set
12

Os anos de ouro do Ultraje à Rigor

Charles Antunes Leite

ÁLBUM CLÁSSICO

Em 2012, o Ultraje à Rigor completa 30 anos de carreira. Roger Rocha Moreira, Leospa, Sílvio e Edgard Scandurra já tocavam juntos há alguns anos, até que em 1982 começaram a se apresentar como Ultraje à Rigor. Um ano depois são contratados pela WEA, mas só após dois compactos Inútil/ Mim Quer Tocar (1983) e Eu Me Amo/ Rebelde Sem Causa (1984), finalmente chega às lojas Nós Vamos Invadir Sua Praia (1985). Nessa ocasião, Roger (guitarra e vocal), Leospa (bateria), Carlinhos (guitarra) e Maurício (baixo) já estavam mais do que prontos para invadir as rádios e casas de shows e programas de auditório.

As influências de bandas dos anos 1960 e os estilos surf music, rockabilly e punk se manifestam nas composições, a maioria de autoria de Roger, cheias de humor e apelo rocker do grupo.

A música tema abre o disco e mostra a que veio: na capa o característico logo da banda manuscrito em duas cores e um periscópio com expressão maliciosa vindo à tona. No verso os integrantes da banda são clicados numa praia fake vestidos de guerrilheiros no momento “descansar”, bem à vontade, traçando uma farofinha com direito a coxinha de galinha. Os paulistanos esculhambando o fato de não terem praia em frente de casa como os cariocas.

Vislumbrando tempos menos sombrios com a iminente Nova República, o jovem da classe média não tem motivo para se rebelar em Rebelde Sem Causa; Se o Brasil é o país do futuro, todos querem votar e ganhar dinheiro, sem deixar de lado o provincianismo tropical, impresso na letra de Mim Quer Tocar.

Zoraide invoca o machismo; Ciúme, a insegurança de uma relação aberta; e Eu me Amo é um hino narcisista. Nós Vamos Invadir Sua Praia traz ainda uma regravação oportuna de Inútil, canção que havia saído em compacto – um protesto ansioso pela liberdade de escolha do presidente em eleições diretas – expresso num português “macarrônico” faz todo sentido na composição que se tornou um sucesso.

Marylou é a história de uma galinha… A música foi composta no período em que Edgard Scandurra integrou o Ultraje, sendo co-autor. A marchinha carnavalesca mostrou sua popularidade ao ser relançada como EP, revivendo a magia dos carnavais em meados dos anos 1980. Provando sua popularidade crescente mesmo ainda sem disco lançado, Roger e cia. reuniram fãs num sábado de aleluia para a gravação ao vivo de Independente Futebol Clube, faixa que encerra um dos melhores álbuns (com jeitão de coletânea) de estreia do pop brasileiro.

O segundo disco é sempre encarado como teste se um artista vai ou não triunfar. Durante a gravação do segundo trabalho, Sérgio Serra ocupa a vaga de Carlinhos que se muda para os Estados Unidos. Após a troca de guitarrista, o Ultraje marcou mais um gol na sua carreira ao tratar com leveza e sarcasmo à moda de Picardias Estudantis o tabu que era falar de Sexo! A fórmula continuou funcionando com temas certeiros como: Pelado, Eu Gosto de Mulher e Sexo.

O Ultraje estava em alta a ponto de Roger e Cia. surpreenderem seus fãs com um show num dia e local inesperado para promover o lançamento de Sexo! – nos moldes dos Beatles para Let it Be, em 1969 (estratégia também utilizada pelo U2, em 1988), em cima da marquise do Shopping Top Center, na Avenida Paulista (centro financeiro de São Paulo) na hora do almoço. Eu, na época, trabalhava como office boy e estava nas proximidades dentro de um ônibus parado devido ao trânsito ocasionado pelo show. Desci e fui conferir.

Os dois discos de sucesso consecutivos permitiram ao Ultraje figurar na lista dos maiores grupos de pop rock brasileiro da década de 1980.

17
ago
12

Dois motivos para acreditar que Elvis não morreu

Charles Antunes Leite

Muitos ainda acreditam que Elvis está vivo e fazendo coisas que todo mortal faz. Alguns juram tê-lo visto comendo um hambúrguer; outros dizem que o viram num posto de gasolina… Os olhos podem até enganar em se tratando de Elvis que entre milhões de fãs possui diversos sósias, alguns bem parecidos.

O sonho não acabou com o assassinato de John Lennon em 1980, mas três anos antes com a morte do “Rei do Rock” em Graceland, no dia 16 de agosto de 1977. Elvis Presley estava com 42 anos de idade, mas aparentava ser um arremedo da figura imponente e sensual que fora na juventude. O “Rei do Pop” Michael Jackson, que já havia sido casado com a filha de Elvis,  morreria em circunstâncias parecidas após parada cardíaca, em 2009  – ambos tomavam medicamentos em demasia.

O artista que se tornou mito no século 20, ainda permanece cercado pelo fascínio de sua figura e obra. O homem Elvis Aaron Presley nasceu em East Tupelo, Mississipi nas primeiras horas do dia 8 de janeiro de 1935. Elvis veio ao mundo meia hora depois do irmão gêmeo Jesse Garon, natimorto.

A infância do futuro “Rei do Rock” foi permeada pela penúria visto que seus pais Gladys e Vernon sustentavam a família com parcos recursos de seus empregos na comunidade rural e às custas do seguro social. Se por um lado, a vida material dos Presley estava longe de ser abastada, emocionalmente Elvis cresceu no seio de uma família amorosa, principalmente a mãe que o acompanhava ao cemitério em que Jesse fora sepultado e à igreja onde despertou seu interesse para a música gospel e desenvolveu o canto.

Elvis ganhou seu primeiro violão quando completou dez anos e o interesse dele pela música country e pelo rhythm and blues deu origem ao amálgama que o tornaria famoso. A trajetória  musical teve início quando o disco que trazia de um lado uma versão de That’s All Right e no outro Blue Moon of Kentucky gravado na Sun Records, de Sam Philips, foi executado pela primeira vez numa rádio de Memphis, no dia 7 de julho de 1954.

Inicialmente, o futuro ídolo enfrentou resistência tanto da parte dos brancos como também dos negros para impor a música miscigenada que podia ser comparada a de um mulato. Transposto tal obstáculo, o resto é história: centenas  de sucessos, mais de 160 discos de ouro e platina, inúmeros filmes, show via satélite e milhões de fãs apaixonados pelo mundo, além da eterna influência para músicos, inclusive Beatles.

Elvis continua vivo e na memória de todos como poderá ser visto em dois eventos que chegam ao Brasil em 2012. A exposição com mais de 500 peças de memorabilia do “Rei do Rock”, a Elvis Experience e o show Elvis in ConcertA viúva do cantor e curadora da exposição, Priscila Presley, abriu Graceland para o apresentador do Fantástico (Rede Globo), Zeca Camargo. As imagens servem como aperitivo para o acervo que será exposto em São Paulo:

Serviço

Exposição: Elvis Experience
Shopping Eldorado – de 05/09  a 05/11 das 10h às 22h
Av. Rebouças, 3970 – Pinheiros – São Paulo-SP
Classificação: Livre
Ingressos: http://www.ingressorapido.com.br/
Tel.: 4003-1212

Show: Elvis in Concert
Ginásio do Ibirapuera – 8 e 9/10/2012
Rua Manoel da Nóbrega, 1361 – Ibirapuera – São Paulo/SP
Classificação: 12 anos
Ingressos: http://www.ingressorapido.com.br/
Tel.: 4003-1212

20
maio
11

Programação do Viradão Carioca 2011

Charles Antunes Leite

Shows 2011/03


Foi divulgada a programação completa do Viradão Carioca 2011 que ocorre no Rio de Janeiro. O evento contará com a apresentação de mais de 50 atrações divididas em quatro grandes palcos ao ar livre: Quinta da Boa Vista, Na praça das Juras em Realengo, Vigário Geral e Arpoador. O Viradão começa sexta-feira dia 20 às 14h e encerra domingo com o show do cantor Belo, previsto para começar às 00h15.

Programação

Palco Circo  Arpoador
Apresentadores do evento: Bruno Mazzeo, Lencinho, Chacal e Maria Juçá

Sexta-feira 20/05
14h00 – Oficina de Circo (infanto-juvenil)
16h00 – Fino Coletivo
17h20 – A Cor do Som
18h40 – Orquestra Voadora
20h10 – Orquestra Imperial
21h30 – Biquíni Cavadão

Intervalos: DJ Lencinho e Esquete Acrobacias Aéreas

Sábado 21/05
14h00 – Oficina de Circo (infanto-juvenil)
14h00 – Oficina de Danças Populares
16h00 – Léo Jaime
17h20 – Luis Carlinhos
18h40 – Arnaldo Antunes
20h00 – Céu
21h20 – Inimigos do Rei

Intervalos: DJ Montano e esquete Acrobacias Aéreas

Domingo 22/05
13h00 – Oficina de Circo (infanto-juvenil)
13h00 – Oficina Roda de Capoeira
15h00 – DJ MAM
17h00 – Nicolas Krassik
19h50 – Blitz
21h20 – Jorge Vercilo

Intervalos: DJ Zé Roque e esquete de Acrobacias Aéreas

Palco Quinta da Boa Vista

Sexta-feira 20/05
Apresentadora do evento: Fernanda Souza

19h00 – Nem te Conto
20h15 – Jorge e Matheus
22h00 – Bangalafumenga
23h45 – Bom Gosto

Sábado 21/05
Apresentador do evento: Eri Johnson

16h00 – Galo Cantô
17h00 – Calçadão Carioca
18h00 – DJ Pretinha
19h15 – Farofa Carioca
19h45 – Velha Guarda da Portela
22h45 – Fernanda Abreu
23h45 – Fresno

Domingo 22/05
Apresentador do evento: Otaviano Costa

13h00 – Banda Marcial dos Fuzileiros Navais
14h00 – Bateria Mirim Filhos da Água
15h30 – Simpatia é quase Amor
20h00 – Luan Santana

Palco Zona Oeste – Bangu (Praça das Juras)

Sexta-feira 20/05
Apresentador do evento: Humberto Carrão

19h00 – Luka
20h45 – Pique Novo
22h30 – Paralamas do Sucesso
00h15 – Charlie Brown Jr.

Sábado 21/05
Apresentadora do evento: Mariana Rios

17h00- Dicró
18h45 – Afroreggae
20h30 – Melanina Carioca
22h15  Scracho
00h15 – NX Zero

Domingo 22/05
Apresentadora do evento: Geovanna Tominaga

17h00 – Grupo Disfarce
18h45 – Buchecha
20h30 – Preta Gil
22h15 – Latino
00h15 – Belo

*a programação pode sofrer alterações.

Fonte: RIOTUR

13
maio
11

Dois nomes do pós-punk tocam em Sampa

Charles Antunes Leite

Shows  2011/02

  • Peter Hook baixista e membro formador do Joy DivisionNew Order faz dois shows em São Paulo. A turnê Unknown Pleasures: A Celebration of Joy Division by Peter Hook & The Light – é uma homenagem ao álbum Unknown Pleasures (1979) do Joy Division. Hook já esteve em São Paulo com New Order e com o Revenge. Dessa vez ele vem com a sua nova banda The Light e a participação do filho dele, o baixista Jack Bates.

                                            O baixista Peter Hook (Foto: Divulgação)

Estúdio Emme, São Paulo – 16 e 17/5

Pontos de venda:
Bilheteria Estúdio Emme na Rua Pedroso de Moraes, 1.036, Pinheiros (segunda-feira a sábado, das 15h às 20h);
Lojas Emme: Shopping Ibirapuera, Shopping Market Place e Butantã;
Lojas Accessorize: Shopping Iguatemi, Shopping Pátio Higienópolis e Jardins.
Venda pela internet: www.compreingressos.com
Informações: (11) 2626 – 5835

  • O quarteto Gang of Four, expoente do pós-punk inglês, vem a São Paulo para tocar no Festival Cultura Inglesa que ocorre no dia 29 de maio. A banda mescla nas canções o discurso político com a energia do rock e o balanço do funk. Eles influenciaram inúmeras bandas nesses mais de trinta anos de carreira, dentre eles: Rapture, Franz Ferdinand e Bloc Party.

Local:
Parque da Independência, São Paulo – 29/5 (Entrada Gratuita)
Informações: festival.culturainglesasp.com.br

  • O show de Alice Cooper que deveria ocorrer em Curitiba, no dia três de junho,  foi cancelado. Na mesma data foi agendada apresentação no Rio de Janeiro. A Tickets for Fun divulgou que o cancelamento se deve a “impedimentos técnicos”.

Alice Cooper foi pioneiro em apresentações com efeitos pirotécnicos, masoquismo e maquiagem carregada – constante nos shows de artistas como Kiss, King Diamond e Marilyn Manson entre outros.

Pepsi on Stage, Porto Alegre – 31/5
Central de Vendas Tickets For Fun: 4003-5588

Credicard Hall, São Paulo – 2/6
Central de Vendas Tickets For Fun: 4003-5588

Citibank Hall, Rio de Janeiro – 3/6
(21)2156-7300

  • O Mr. Big banda de hard rock capitaneada pelo baixista Billy Sheehan vem ao Brasil para divulgar o álbum What if (2010). A banda formada por grandes instrumentistas ficou conhecida nos anos 1990, principalmente, por baladas como To Be With You e Just Take my Heart.

HSBC Brasil, São Paulo9/7
Bar Opinião, Porto Alegre – 10/7

  • O Grave Digger toca pela quinta vez no país. Em 2005, o show de São Paulo deu origem ao CD e DVD ao vivo 25 To Live, em que tocaram sucessos dos 25 anos de carreira da banda.

O grupo alemão faz heavy metal clássico. O som é pesado e direto com riffs cortantes de guitarra e o característico vocal grave e rasgado. Os ingressos para a apresentação de São Paulo estão à venda pelo site http://www.ticketbrasil.com.br

Carioca Club, São Paulo – 23/7
Music Hall, Curitiba – 24/7

Pontos de venda em São Paulo:
Galeria do Rock: Paranoid: (11) 3221-5297 / Die Hard: (11) 3331-8253
Outros pontos de Venda: Metal CDS (Santo André) (11) 4994-7565

  • Rod Stewart fechou contrato de dois anos para se apresentar no teatro Las Vegas Colosseum, no Hotel Caesars Palace. Enquanto não começa a temporada, prepara álbum de blues com o camarada Jeff Beck. Rod segue a tendência de muitos artistas que são atraídos pelo dinheiro e comodidade das apresentações na cidade dos cassinos. O caso mais conhecido foi Elvis Presley
    que se apresentou na cidade na década de 1970.

                                            Rod Stewart (Divulgação do site do artista)

07
maio
11

The Cult, Judas Priest, Whitesnake, Rock in Rio 2011 e mais…

Charles Antunes Leite

Shows  2011/01:

  • The Cult, a banda anglo-americana formada por Billy Duffy (guitarras) e Ian Astbury (vocais) se apresenta no país pela sexta vez – Daqui a pouco, eles alugam um apê no edifício Copan.

Este que vos escreve teve o prazer de assistir aos shows que ocorreram no Ginásio do Ibirapuera (1991) e no Olímpia (1995). A formação atual do grupo conta com Mike Dimkich (guitarra), Chris Wyse (baixo) e  John Tempesta (bateria). O show vale pelo saudosismo e pelo guitarrista que continua tocando muito, enquanto a voz do vocalista perdeu a potência com o passar dos anos.

HSBC Brasil, São Paulo – 14/5
Ingresso Rápido – Tel: (11) 4003-1212

                                                 The Cult 2011    (Foto: Divulgação)

  • A banda Mötley Crüe se apresenta com a formação original acompanhados pelo grupo Buckcherry. A banda de hard rock de Los Angeles vendeu milhões de discos e se envolveu em muita confusão nas décadas de 1980 e 90.

São Paulo, Credicard Hall – 17/05
Tickets For Fun: 4003-5588

  • A primeira edição do BMW Jazz Festival no Auditório do Ibirapuera contará com a presença de dois colaboradores de Miles Davis: o saxofonista Wayne Shorter e o baixista Marcus Miller, além da diva do soul Sharon Jones. O BMW Jazz Festival preenche  a lacuna deixada pelo extinto Free Jazz Festival. Os ingressos estarão à venda nos postos da Tickets For Fun ou no site da empresa a partir do dia 10 de maio. Informações pelo telefone (11) 4003-5588.

Programação:
10/6
Billy Harper Quintet
Joshua Redman Trio
Wayne Shorter Quartet

11/6
Zion Harmonizers
Letieres Leite & Orkestra Rumpilezz
Sharon Jones & The Dap-Kings

12/6
Tord Gustavsen Trio
Renaud Garcia-Fons
Marcus Miller – Tutu Revisited

Parque e na platéia externa do Auditório Ibirapuera (entrada gratuita)

12/6
10h – Funk Off Brass Band Parade
17h30 – Sharon Jones & The Dap-Kings
19h – Cinema ao ar livre: apresentação do filme Jazz on a Summer’s Day (filme de 1960, dirigido por Bert Stern)

  • O festival Black na Cena traz artistas nacionais e internacionais de várias vertentes da black music. O evento será na Arena Anhembi, em São Paulo, nos dias 22,23 e 24 de julho.

Os ingressos estão sendo vendidos pelo site www.zetks.com.br e lojas Central Surf nos shoppings:
Metrô Tatuapé,
Tel:  11 2092-9635
tatuape@centralsurf.com.br

Center Norte
Tel: 11 2252-2833
cnorte@centralsurf.com.br

Interlagos
Tel: 11 5671-4141
interlagos@centralsurf.com.br

Internacional Guarulhos
Tel: 11 2425-1010
guarulhos@centralsurf.com.br

Barão de Itapetininga
Tel: 11 3256-8099
barao@centralsurf.com.br

Programação:
22/07

George Clinton
Sandra de Sá
O Baile do Simonal

23/07
Public Enemy
Jorge Ben Jor
Marcelo Yuka
Xis

24/07
Naughty by Nature
Redman
Racionais MCs
Thaíde

                                             Whitesnake 2011 (Foto: Divulgação)          

  • Whitesnake vem ao Brasil em turnê conjunta com Judas Priest, em setembro. Os shows passarão por São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília, depois ainda farão apresentações em Santiago (Chile) e Bogotá (Colômbia). O Judas apresentará seu novo guitarrista Richie Faulkner que entrou no lugar de K.K. Downing, um dos membros fundadores da banda.

Anhembi, São Paulo – 10/9
Citibank Hall, Rio de Janeiro – 11/9
Chevrolet Hall, Belo Horizonte – 13/9
Nilson Nelson, Brasília – 15/9
Fonte: site oficial Judas Priest

  • Os ingressos para o Rock in Rio 2011 começaram hoje (07/05), porém a venda online para os dias 23 e 24 de setembro esgotaram. Para essas datas agora só poderão ser adquiridos nos quiosques no Rio de Janeiro. Antes de se dirigir aos pontos de venda acesse o site do evento para confirmar a disponibilidade de senhas – são destinados lotes de ingressos para os postos autorizados. http://www.rockinrio.com.br/

Programação

Palco Mundo
23/9
Elton John
Rihanna
Katy Perry
Claudia Leitte

24/9
Red Hot Chili Peppers
Snow Patrol
Capital Inicial
Stone Sour
NX Zero

25/9
Metallica
Slipknot
Motörhead
Coheed and Cambria

30/9
Shakira
Lenny Kravitz
Ivete Sangalo
Jota Quest
Marcelo D2

1/10
Coldplay
Jay-Z
Maná
Skank
Frejat

2/10
Guns N’ Roses
System of a Down
Pitty
Detonautas

Palco Sunset
23/9
Móveis Coloniais de Acaju + Orkestra Rumpilezz + Mariana Aydar
Ed Motta + Rui Veloso + convidado
Bebel Gilberto + Sandra de Sá

24/9
Marcelo Yuka + Cibelle + Karina Buhr + Amora Pêra
Tulipa Ruiz + Nação Zumbi
Milton Nascimento + Esperanza Spalding
Mike Patton/Mondo Cane + orquestra

25/9
Matanza + BNegão
Korzus + The Punk Metal Allstars
Angra + Tarja Turunen

30/9
Buraka Som Sistema + Mixhell
João Donato + Céu
Cidade Negra + Martinho da Vila + Emicida
Monobloco + Macaco

1/10
Cidadão Instigado + Júpiter Maçã
Tiê + Jorge Drexler
Zeca Baleiro + Concha Buika
Erasmo Carlos + Arnaldo Antunes

2/10
The Monomes + David Fonseca
Mutantes + Tom Zé
Titãs + Xutos & Pontapés
Marcelo Camelo + convidado (a ser confirmado)

Serviço:
Data: 23, 24, 25 e 30 de setembro; 1º e 2 de outubro
Local: Parque Olímpico Cidade do Rock, em frente ao Rio Centro
Postos de Venda: Quem tem Rock in Rio Card ainda pode confirmar presença nesses dias. O link é https://rockinriop.zetks.com/meurircard

Os pontos de venda são:
BARRASHOPPING (perto da entrada M)
Avenida das Américas, 4666 – Barra da Tijuca
RIO SUL (perto da entrada principal)
Rua Lauro Müller, 116 – Botafogo
SHOPPING NOVA AMÉRICA (perto da entrada principal)
Av. Pastor Martin Luther King Júnior, 126 – Inhaúma

  • Eric Clapton incluiu a América do Sul em sua agenda de shows de 2011. O artista se apresentou por aqui pela última vez em 2001. As datas e locais divulgados:

Porto Alegre, Fiergs 6/10
Ingressos: a partir de 15/06 em www.livepass.com.br

Rio de Janeiro, HSBC Arena – 9/10
Ingressos: a partir de 26/05 em www.livepass.com.br

São Paulo, Estádio do Morumbi – 12/10
Ingressos: a partir de 26/05 em www.livepass.com.br
Fonte: site oficial Eric Clapton

  • O Foo Fighters de Dave Grohl ex-Nirvana arrecadou em torno de 1,3 milhão de reais em shows realizados na Austrália e Nova Zelândia e essa quantia foi doada  para as vítimas do ciclone e terremoto que atingiram a região no último mês de fevereiro. Uma FM argentina anunciou que eles farão shows no país em dezembro, o que aumenta a possibilidade de darem uma esticadinha até o Brasil. No entanto, as informações não constam do site oficial da banda.
    Fonte: Agência de notícias EFE.



%d blogueiros gostam disto: