Posts Tagged ‘Dáfnis e Cloé

09
fev
15

Mar Inquieto – Yukio Mishima

Por Charles Antunes Leite

Yukio Mishima apresenta um quadro deslumbrante da paisagem costeira da pequena ilha de Utajima – uma das mais de seis mil que formam o arquipélago japonês. O lugar parece ter perdido o “trem da história” em relação ao restante do Japão pós-guerra e industrializado. Como herança do conflito restou um posto de observação do exército (abandonado) em que ocorre o encontro dos futuros amantes. Os cerca de 1400 habitantes da ilha se servem de água que precisam pegar direto da fonte e a energia elétrica depende de um gerador que durante a narrativa vimos saber que está quebrado –  Isso parece tão atual!

11252_gMar Inquieto, publicado em 1954, de Yukio Mishima é um romance sobre o amor atemporal e universal em que moça rica (Hatsue) e rapaz pobre (Shinji) se apaixonam e precisam enfrentar a tudo e a todos para ficarem juntos. Inspirado em Dáfnis e Cloé de Longo, escrito entre os séculos II e III, Mishima explora disciplina, paciência e honra do casal enamorado para vencerem as vicissitudes que acometem o relacionamento.

Shinji aos 18 anos de idade se dedica com afinco ao trabalho como pescador num pequeno barco. Ele vive com a mãe que trabalha como mergulhadora e o irmão caçula dedicado aos estudos e atraído pelo conforto da vida urbana.

A vida do jovem pescador sofre bruscas mudanças ao conhecer a bela Hatsue que cresceu longe da ilha e retornou a pedido do pai, o homem mais rico do lugar, para casar e assumir a posição como herdeira.

O antagonismo entre os dois pretendentes a noivo é bem definido pela coragem, honestidade e lealdade do pescador Shinji em contraste ao preguiçoso, arrogante, covarde e rico Yasuo. Shinji é a escolha de Hatsue enquanto sobre Yasuo recai a escolha do pai dela.

Honra é um dos motes do livro e pode ser percebido em pelo menos dois momentos: quando a castidade é mantida diante do arroubo de um amor jovem durante um encontro furtivo – a espera pelo momento em que esse amor possa se tornar legítimo tão certo como esperar o tempo para ter a melhor colheita.  A amiga Chyoko, contrária ao romance, ama em silêncio e por não ter o amor correspondido espalha boatos depondo contra a honra de Hatsue. Ela toma consciência do ato e se vê moralmente na obrigação de promover a união.

O romance pode, inicilamente, despertar estranheza mas no desenrolar da história passa a ser fascinante ao descrever costumes e tradições japonesas e ofício dos pescadores.  As 168 páginas podem ser lidas em uma tarde.

Título: Mar Inquieto
Autor: Yukio Mishima
Tradução: Leiko Gotoda
Páginas: 168
Editora: Companhia das Letras

 

 

Anúncios



tweets

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: