Posts Tagged ‘John Lennon

11
jan
16

Adeus, Bowie!

images9658JGGR

David Bowie nascido David Robert Jones em 1947, em Brixton, Londres (UK) desenvolveu a aptidão para música ainda na pré-escola. Ele ficava fascinado pelos discos do pai: Little Richard, Elvis Presley entre outros. Durante a juventude aprende a tocar diversos instrumentos, se aprofunda na pesquisa de novos sons e a desenvolver a figura de performer que anos mais tarde aperfeiçoaria.

O nome artístico veio da insatisfação de ser confundido com Davy Jones dos Monkees. Ele adota o sobrenome Bowie (facas Bowie). Outra marca característica do artista são os olhos de cores diferentes adquirida aos 15 anos de idade – devido a um soco desferido pelo “amigo” (sic) George Underwood – a pupila esquerda se mantém constantemente dilatada daí a diferença de coloração.
Foto-0641

Bowie adotou vários heterônimos (Major Tom, Ziggy Stardust, Aladdin Sane, Thin White Duke etc) como Fernando Pessoa; foi revolucionário para o Pop Rock como Miles Davis para o Jazz. David Bowie era um artista de muitos talentos: cantor, compositor, produtor, multi-instrumentista, ator – como não se lembrar dele em filmes como o drama de guerra Furyo – Em Nome da Honra (1983), o vampiro John de Fome de Viver (1983) ou Jareth, o rei dos duendes de Labirinto (1986). Da mesma forma que a imagem, a música de Bowie também se diferenciava de um disco para outro. Na discografia podemos destacar trabalhos de inegável valor como Hunky Dory (1971),The Rise and Fall of Ziggy Stardust and Spiders From Mars (1972), Aladdin Sane (1973), Diamond Dogs (1974), Young Americans (1975), Low e Heroes(1977), Lodger (1979) e Scary Monsters (1980) . O “Camaleão” em constante mutação e à frente de seu tempo anunciava tendências e influenciava músicos, atores, estilistas, o mais variado leque de artistas das mais variadas áreas.

Um grande artista que esteve sempre se reinventando e para isso se juntava aos seus pares: revitalizou a carreira de Iggy Pop compondo com ele e produzindo os discos (The Idiot e Lust for Life, ambos de 1977); também produziu Lou Reed no clássico álbum Transformer (1972); parceiro de John Lennon na música “Fame” (Young Americans, 1975) e Queen ”Under Pressure” (Hot Space,1982); regravou a canção “Dancing in the Streets” em dueto com Mick Jagger em 1985.

David Bowie em Sao Paulo (1990)

David Bowie em São Paulo (1990)

Assisti ao show de um Bowie na meia-idade na Sound + Vision Tour em 1990, no Palestra Itália (atual Allianz Parque), mas infelizmente não fui à exposição no MIS em 2014 por falta de tempo e disposição para enfrentar filas quilométricas.

the next dayDavid Bowie se retirou dos holofotes após a Reality Tour em 2004. Ele ensaiou um retorno em 2013 surpreendendo fãs e crítica com um clipe que anunciava novo álbum de inéditas The Next Day – mesmo não se equiparando aos trabalhos anteriores a 1980, pode ser considerado muito acima da média de discos posteriores dele ou de outros artistas contemporâneos. Bowie morre três dias após completar 69 anos e de lançar seu vigésimo oitavo álbum “Blackstar”.

David Bowie saiu de cena de surpresa como sempre o fez ao apresentar suas mutações aos fãs. O “Camaleão” se junta ao panteão dos grandes nomes da música que deixaram esse plano; deixa um legado artístico para a eternidade.

Por Charles Antunes Leite

 

Anúncios
17
ago
12

Dois motivos para acreditar que Elvis não morreu

Charles Antunes Leite

Muitos ainda acreditam que Elvis está vivo e fazendo coisas que todo mortal faz. Alguns juram tê-lo visto comendo um hambúrguer; outros dizem que o viram num posto de gasolina… Os olhos podem até enganar em se tratando de Elvis que entre milhões de fãs possui diversos sósias, alguns bem parecidos.

O sonho não acabou com o assassinato de John Lennon em 1980, mas três anos antes com a morte do “Rei do Rock” em Graceland, no dia 16 de agosto de 1977. Elvis Presley estava com 42 anos de idade, mas aparentava ser um arremedo da figura imponente e sensual que fora na juventude. O “Rei do Pop” Michael Jackson, que já havia sido casado com a filha de Elvis,  morreria em circunstâncias parecidas após parada cardíaca, em 2009  – ambos tomavam medicamentos em demasia.

O artista que se tornou mito no século 20, ainda permanece cercado pelo fascínio de sua figura e obra. O homem Elvis Aaron Presley nasceu em East Tupelo, Mississipi nas primeiras horas do dia 8 de janeiro de 1935. Elvis veio ao mundo meia hora depois do irmão gêmeo Jesse Garon, natimorto.

A infância do futuro “Rei do Rock” foi permeada pela penúria visto que seus pais Gladys e Vernon sustentavam a família com parcos recursos de seus empregos na comunidade rural e às custas do seguro social. Se por um lado, a vida material dos Presley estava longe de ser abastada, emocionalmente Elvis cresceu no seio de uma família amorosa, principalmente a mãe que o acompanhava ao cemitério em que Jesse fora sepultado e à igreja onde despertou seu interesse para a música gospel e desenvolveu o canto.

Elvis ganhou seu primeiro violão quando completou dez anos e o interesse dele pela música country e pelo rhythm and blues deu origem ao amálgama que o tornaria famoso. A trajetória  musical teve início quando o disco que trazia de um lado uma versão de That’s All Right e no outro Blue Moon of Kentucky gravado na Sun Records, de Sam Philips, foi executado pela primeira vez numa rádio de Memphis, no dia 7 de julho de 1954.

Inicialmente, o futuro ídolo enfrentou resistência tanto da parte dos brancos como também dos negros para impor a música miscigenada que podia ser comparada a de um mulato. Transposto tal obstáculo, o resto é história: centenas  de sucessos, mais de 160 discos de ouro e platina, inúmeros filmes, show via satélite e milhões de fãs apaixonados pelo mundo, além da eterna influência para músicos, inclusive Beatles.

Elvis continua vivo e na memória de todos como poderá ser visto em dois eventos que chegam ao Brasil em 2012. A exposição com mais de 500 peças de memorabilia do “Rei do Rock”, a Elvis Experience e o show Elvis in ConcertA viúva do cantor e curadora da exposição, Priscila Presley, abriu Graceland para o apresentador do Fantástico (Rede Globo), Zeca Camargo. As imagens servem como aperitivo para o acervo que será exposto em São Paulo:

Serviço

Exposição: Elvis Experience
Shopping Eldorado – de 05/09  a 05/11 das 10h às 22h
Av. Rebouças, 3970 – Pinheiros – São Paulo-SP
Classificação: Livre
Ingressos: http://www.ingressorapido.com.br/
Tel.: 4003-1212

Show: Elvis in Concert
Ginásio do Ibirapuera – 8 e 9/10/2012
Rua Manoel da Nóbrega, 1361 – Ibirapuera – São Paulo/SP
Classificação: 12 anos
Ingressos: http://www.ingressorapido.com.br/
Tel.: 4003-1212

16
abr
12

History of the World According to Facebook, The

Charles Antunes Leite

Imagine personalidades como Deus, Jesus Cristo, o Diabo, políticos, figuras históricas e da cultura pop (reais e fictícias) postando, comentando, curtindo e promovendo eventos no Facebook. Esse é o grande barato em The History of the World According to Facebook (ainda sem tradução para o português).

A ideia do livro surgiu após a publicação de um  artigo no site coolmaterial.com, em agosto de 2010, no qual Wylie Overstreet satirizava o universo “facebookiano”. Em um mês obteve três milhões de visualizações e 120 mil usuários sinalizaram “Curtir”.

Há 13 bilhões de anos, antes de Mark Zuckerberg criar o FacebookBig Bang anuncia um grande evento que originaria o Universo e, consequentemente, o desenvolvimento dos planetas e das formas de vida.

Podemos recordar uma passagem do processo de Independência dos EUA em que camponeses insatisfeitos com a sobretaxação de produtos e o monopólio concedido à Companhia das Índias Orientais organizaram o protesto conhecido como Boston Tea Party:

Event: Boston created na event Dec. 16, 1773
Tea Party! – protest unfair taxation by making the whole town stink of chamomile!
Benjamin Franklin – A righteous cause!

O que dizer de algumas atualizações dos jovens Buddy Holly, John Lennon e Tony Manero:

Buddy Holly – Couple extra seats on this plane, anyone wan’t em? Feb 3, 1959
Fate – Like this
Big Booper – I’ll take one.
Ritchie Valens – Me too!
Buddy Holly comunica que tem dois lugares para quem quiser uma carona. O destino quis que Big Booper e Ritchie Valens aceitassem o convite que culminaria na morte dos três rockers.

John Lennon is now friends with Paul McCartney and 2 others.
May 29, 1962
John Lennon e seus novos amigos formaram a banda The Beatles. Será que farão sucesso? Rs …

Tony Manero is in a relationship with Disco.
December 14, 1977
The Bee Gees like this.
(Não necessita comentário)

O livro analisa a comunicação e as convenções sociais compartilhadas via Facebook. É uma forma bem humorada de recordar a história e eventos contemporâneos de forma livre e fragmentada – como seriam divulgados, guardadas as proporções, os fatos e novidades inerentes às figuras supra mencionadas. As sacadas do texto poderão ser apreciadas plenamente pelos leitores que tiverem familiaridade com conhecimentos gerais e cultura pop.

O politicamente correto é deixado muitas vezes de lado em favor de uma piada de gosto duvidoso:

John F. Kennedy – Beautiful dayin Dallas! Gonna get all presidential up in here and drop the top.
November 22, 1963
Lee Harvey Oswald  like this.
Oswald curtiu a divulgação do local exato em que o presidente Kennedy estaria fazendo campanha pela reeleição e no qual ele poderia alvejá-lo.

O humor ácido da publicação poderá ser visto com reservas e críticas no momento que a liberdade de imprensa (omissão e não divulgação de fatos) e artística (humorismo monitorado pelo politicamente correto) vêm sendo cerceadas no país.

Título: History of the World According to Facebook, The
Autor: Wylie Overstreet
Idioma: Inglês
Páginas: 160
Editora: Harper USA

17
jul
09

CD: Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band, The Beatles (1967)

Charles Antunes Leite

Em 1967, os Beatles eram conhecidos em todos os cantos do planeta e  haviam desistido das apresentações ao vivo, se dedicando exclusivamente a produção dos seus discos. O ponto alto (mais alto) alcançado em se tratando de criatividade e técnica veio com a longa gestação do meticuloso e revolucionário Sgt. Peppers.

O produtor George Martin, responsável não só pela sonoridade dos Beatles como de muitos outros artistas, mergulhou nas viagens sonoras dos Fab Four, dando forma aos devaneios musicais de John e Paul.

A música que intitula o álbum, um rock’n’roll sujo, gritado por Paul, acompanhado pelo “backing vocals” dos Beatles, metais, sampler de fãs histéricas e final em ritmo marcial interligando o saudosismo de With a Little Help From my Friends cantada pelo baterista Ringo Starr.

Em Lucy in the Sky With Diamonds (Lennon negou a alusão ao LSD expressa nas iniciais); A Day in a Life, canção que segue em progressão, e quando parece chegar ao ápice para terminar, recomeça com os vocais encobertos por uma camada de metais. As demais músicas dão coesão para uma obra atemporal da música pop.

Cada tema proposto era exaustivamente ensaiado e manipulado pelos cinco. Nesse disco foram utilizadas técnicas até então inéditas: o uso de oito canais, afinações, dobramentos e utilização de fitas magnéticas para criar a sonoridade com a utilização de instrumentos e harmonias hindus, diversidade de estilos, psicodelia…

A outra grande sacada dos rapazes de Liverpool foi a capa inspirada na Pop Art concebida pelo artista Peter Blake, com colagens formando um painel com fotos e ilustrações de vários artistas e figuras públicas, o que originaria diversas lendas em torno de sua composição, inclusive a suposta morte anunciada de Paul , devido a um túmulo florido e o baixo de McCartney envolto também em flores.

Por tudo isso, Sgt. Peppers se tornou enigmático e cultuado, sendo considerado mesmo quarenta anos após seu lançamento, o melhor disco de todos os tempos. O título é merecido.

Album: Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band, 1967
Artista : The Beatles
Gravadora: EMI




tweets

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: